Estudo dos métodos de extração de queratina a partir de penas defrango e lã animal.

  • Cintia Caroline Zanca
  • Gustavo Henrique Paganida Silva

Resumo

RESUMO:
O aproveitamento de recursos disponíveis em resíduos é uma preocupação na busca do aprimoramento de processos. Um resíduo ainda pouco explorado é o de origem de frangos e ovelhas. Os dois principais resíduos dessas indústrias são penas e lãs, que geram juntos cerca de 7,5 milhões de toneladas de resíduo por ano, descartados principalmente em aterro sanitário ou incinerados. Esses dois resíduos são ricos em queratina, uma proteína que disponibiliza rigidez e pode ser empregada em áreas médicas, farmacêuticas, cosméticas e de biotecnologia. Diversos autores têm se dedicado em desenvolver metodologias para a extração da queratina desses resíduos, em destaque o método de redução, cujos principais desafios são: a determinação de uma substância redutora eficiente e viável economicamente e a determinação das condições de extração (temperatura, pH e tempo de banho). Nesse trabalho é apresentada uma revisão bibliográfica sobre o método redutor de extração de queratina de penas e lãs. Além de apresentar conceitos básicos sobre a queratina e os resíduos da criação de frangos (rico em penas) e de ovelhas (rico em lãs). Foram reunidos estudos realizados com diferentes substâncias redutoras em diferentes condições de temperatura e pH, confrontando os rendimentos obtidos por cada autor. Em que a extração de queratina da lã usando L-cisteína como agente redutor e a extração da queratina da pena utilizando Sulfeto de Sódio como redutor se mostraram mais promissores.
Palavras-chave: Extração; Queratina; Pena; Lã.

Publicado
2021-09-15