Toxina botulínica e seu uso na estética

  • Vanessa Ferraz de Oliveira

Resumo

RESUMO:
A toxina botulínica é uma proteína produzida pela bactéria Clostridium botulinum que, quando injetada, paralisa os músculos temporariamente, além de também ser utilizada para a hiperidrose entre outras patologias como AVC, bexiga neurogênica incontinência urinária, enxaqueca crônica e espasmo hemifacial. Basicamente, ela age como um bloqueador neuromuscular, bloqueando os estímulos dos neurônios até os músculos, paralisando a contração muscular e relaxando o músculo, a toxina botulínica inibe a liberação da acetilcolina, diminuindo a contração muscular, uma vez injetada no músculo a toxina atinge o terminal nervoso colinérgico através da dispersão e difusão iniciando o seu mecanismo de ação, A história da toxina botulínica se iniciou em 1917, com a publicação de um artigo sobre a descrição do botulismo associada a mortes por intoxicação com um veneno em salsichas defumadas. O tratamento é indicado para rugas de expressão, hiperidrose, suavização do sorriso gengival e no queixo, elevação da ponta do nariz e levantamento das sobrancelhas. As contraindicações são pacientes grávidas ou em período de amamentação, alergia a algum dos componentes, infecção no local da aplicação e pacientes que fazem uso de aminoglicosídeos ou medicamentos que interfiram na transmissão neuromuscular.
Palavras-chave: toxina botulínica; origem; estética; neurofisiologia; indicações.

Publicado
2021-09-15