Manifestações neurológicas em decorrência do desenvolvimento do lúpus eritematoso sistêmico: comprometimento do sistema nervoso central.

  • Leonardo Meirelles Santos

Resumo

RESUMO:
O sistema imunológico dispõe de diversos mecanismos voltados a manter a homeostase ou o equilíbrio entre todos os componentes que medeiam a imunidade, desde o reconhecimento de antígenos até a apresentação deles, para que os patógenos possam ser combatidos de maneira eficiente. Quando há falha de um ou mais desses processos reguladores ou supressores, o organismo acaba por desenvolver diferentes patologias, que podem ser reversíveis ou não, como em síndromes específicas autoimune como o lúpus eritematoso sistêmico (LES). O LES caracteriza-se pelo auto dano com lesão tecidual. É uma doença autoimune de aspecto crônico que possui diferentes manifestações devido a facilidade em atacar diversos tecidos, não sendo específica a uma região do organismo. Embora não sejam muito conhecidos os mecanismos fisiopatológicos desta condição clínica, o comprometimento neurológico em decorrência do LES é reincidente na maioria dos casos. Relacionam-se as complicações neurológicas a presença de autoanticorpos específicos ao tecido sistêmico nervoso tanto central quanto periférico. Não se tem o conhecimento de como essa doença é desencadeada: se há necessariamente um gatilho que dispare seu desenvolvimento. Embora, a predisposição genética e fatores ambientais sejam associados à patogenicidade da doença, sabe-se ocorre o autorreconhecimento pelo sistema imunológico, classificando células saudáveis como patogênicas.
Palavras Chaves: Doença Autoimune, Lúpus eritematoso sistêmico, Sistema Nervoso Central.

Publicado
2021-09-15