Intervenção fisioterapêutica na síndrome de turner por meio da equoterapia: estudo de caso.

  • Francielli Helena Bueno Pinto
  • Talissa Almeida Palharini

Resumo

RESUMO:
A síndrome de Turner (ST) é uma patologia caracterizada por alteração genética nos cromossomos sexuais, que acomete pessoas do sexo feminino. Seus principais sinais clínicos são alterações físicas, como a baixa estatura, pescoço curto e alado, escoliose, assim como atraso puberal e distúrbios psicossociais. Sabendo disso, a equoterapia pode ser um recurso terapêutico muito eficiente em seu tratamento, pois proporciona ao praticante benefícios físicos, psicológicos, educacionais e sociais. O objetivo do estudo foi verificar os resultados da equoterapia na postura, transição de posições, tal como o equilíbrio em sedestação e ortostatismo, de uma criança com ST, com a realização de 33 sessões, uma vez por semana com duração de 30 minutos cada. Trata-se de um estudo de caso, do tipo intervencional, onde foi realizado uma avaliação de caráter qualitativo através de registros fotográficos, da ação extensora de tronco e cabeça, transição de posições, avaliação postural e manutenção da sedestação e ortostatismo. Observou-se melhora postural, manutenção de posturas e suas transições, no período de 12 meses. Conclui-se que a equoterapia foi benéfica para a praticante em conjunto com as demais terapias realizadas, obtendo melhora em todos aspectos avaliados no presente estudo, corroborando para a melhora da independência funcional e na realização das atividades de vida diárias (AVD’s), entretanto por se tratar de um estudo de caso, pelo quadro clínico particularmente único da voluntária e a realização de outras terapias associadas, são necessários estudos mais aprofundados para verificar a eficácia da equoterapia como tratamento fisioterapêutico de crianças com síndrome de Turner.

Publicado
2021-09-18