Lesões associadas ao rúgbi: estudo de campo

  • Andrei Yudi Okoda
  • José Renato Evangelista Bezerra

Resumo

RESUMO:
O rúgbi é um esporte de muito contato físico que coloca o atleta em situações que podem desencadear diversas lesões e com o crescimento do esporte em nível global os índices de lesões nos atletas tendem a aumentar. O objetivo do estudo foi analisar a prevalência de lesões em atletas amadores de rúgbi, que disputam o campeonato Paulista na Série B. Foi aplicado um questionário para 23 atletas com os critérios de inclusão (idade entre 18 e 35 anos, prática do esporte por um período mínimo de um ano e frequência de treinos semanais entre 1 a 4 dias), e os de exclusão (idade superior a 35 anos, pratica de esporte que interfira nos resultados do estudo, carga semanal de treino acima de 5 dias, e não possuir nenhuma lesão) e a amostra final teve 13 atletas, sendo todos do sexo masculino. O questionário também buscava observar a posição dos jogadores, as lesões sofridas e os locais acometidos e o tempo de afastamento. Os resultados dos locais mais recorrentes foram consecutivamente, membro inferior, membro superior, cabeça e tórax. E as lesões que recorrentes foram, entorse de tornozelo, lesão ligamentar de joelho, luxação de ombro, estiramento posterior da coxa, fratura em membro superior e estiramento de panturrilha. Mostrando que a maior incidência de lesões foi na posição “fowards”.
Palavras Chave: fisioterapia, lesões, incidência, rúgbi, atletas, prevalência.

Publicado
2021-09-18