Fisioterapia na síndrome da rede axilar decorrente do tratamento de câncer de mama: uma revisão narrativa

  • Alexia Rodrigues Candido

Resumo

RESUMO:
O câncer de mama é um grave problema de saúde pública mundial, que provoca constante aumento no índice de mulheres submetidas ao tratamento cirúrgico, elevando a sobrevida e ocasionando a crescente taxa de complicações decorrente ao tratamento. Nesta revisão será apresentado a Síndrome da Rede Axilar (SRA), complicação pós cirúrgica que surge a curto ou longo prazo, originada a partir da Linfonodectomia Axilar (LA) ou Biópsia do Linfonodo Sentinela (BLS). A SRA é caracterizada como uma síndrome físico-funcional que compromete a amplitude de movimento do membro superior homolateral à cirurgia, causando dor e afetando a qualidade de vida das mulheres que foram submetidas ao tratamento cirúrgico. O presente estudo tem como objetivo revisar a literatura afim de verificar a atuação fisioterapêutica na SRA. Os critérios de elegibilidade foram ensaios clínicos publicados no idioma inglês ou português, nos últimos 10 anos que discutam abordagens e intervenções de tratamento fisioterapêuticos para a síndrome. A pesquisa foi realizada nos sites de busca PubMed, BIREME, SciELO e PEDro, utilizando os termos para busca: axillary web syndrome; physioterapy; post-operative; fisioterapia; síndrome da rede axilar. Foram identificados cinquenta artigos; após análise se obteve quatro artigos condizentes com os critérios de elegibilidade para inclusão na revisão. Os resultados evidenciados, sugerem um programa de tratamento que inclua alongamentos e fortalecimento muscular do membro superior, combinado com terapias manuais e aplicação de kinesio taping, pois não há tratamento exclusivo para resolução da SRA. O tratamento fisioterapêutico melhorou a saúde física, social e emocional das participantes, solucionando o desenvolvimento da SRA e prevenindo o surgimento da mesma.
Palavras-chave: Neoplasias da mama; excisão de linfonodo; fisioterapia.

Publicado
2021-09-18