O uso da isoflavona no tratamento do climatério

  • Elidia Rodrigues Araújo
  • Francieli Ferrari

Resumo

RESUMO:
Atualmente grande parte da população tem buscado entre os métodos naturais, tratamentos para diversos sintomas e patologias. Esse condicionamento populacional para o uso de fitoterápicos tem aberto espaço para que muitas mulheres tenham acesso ao conhecimento de compostos presentes nos alimentos naturais que podem auxiliar durante a trajetória pela menopausa. O climatério é definido pelo encerramento do período fértil da mulher que ocorre por volta dos 40 anos de idade, acarretando mudanças hormonais e fisiológicas que trazem sintomas severos. Um dos compostos que tem se destacado para o tratamento dos sintomas do climatério são as isoflavonas, fitoestrógenos presentes em diversos alimentos como milho, inhame, sementes de linhaça, feijão, ervilha, lentilhas e, principalmente, na soja. Os fitoestrógenos possuem estruturas semelhantes ao estrógeno endógeno, hormônio presente durante toda a fase reprodutiva da mulher, porém, durante a menopausa, há uma queda significativa nos níveis hormonais femininos sendo assim o principal motivo para o aparecimento dos sintomas do climatério. As isoflavonas tem sido motivo de estudo devido a comparação das mulheres orientais com as ocidentais durante o período da menopausa, pois o consumo abundante de soja nos países orientais tem feito com que as mulheres locais tivessem os sintomas reduzidos e poucos malefícios comparado às mulheres ocidentais, onde o consumo desse composto é mínimo. Além disso, as isoflavonas possuem efeitos benéficos na prevenção de doenças crônicas e cardiovasculares.
Palavras-chave: Menopausa, Climatério, Fitoestrógenos, Isoflavonas.

Publicado
2021-10-16