Pedagogia hospitalar: a atuação do pedagogo no tratamento de crianças e adolescentes em idade escolar

  • Gabriela Tofanelli Montalvão

Resumo

RESUMO:
O presente artigo busca apresentar a importância da Pedagogia Hospitalar no tratamento de crianças e adolescentes, que por motivos de saúde, foram afastados da escola regular. Nesse caso, o trabalho do pedagogo torna-se essencial no âmbito hospitalar, por meio de atividades lúdicas ao utilizar os recursos pedagógicos como a brinquedoteca para melhorar no desenvolvimento de aprendizagem da criança impossibilitada de frequentar a escola. A pesquisa tem como objetivo principal fomentar sobre as ações do pedagogo em ambientes não formais e requer avanços na formação inicial e continuada. Como metodologia recorreu-se à revisão da literatura por meio de artigos e obras disponibilizadas em bancos de dados de revistas científicas e bibliotecas virtuais, pois, entende-se que a Pedagogia Hospitalar tem uma relevância significativa para o tratamento de crianças e adolescentes por meio da atuação desses educadores em ambientes de ensino não formais e carecem de fomentos cotidianamente. Como resultado, fica evidente que mesmo amparado por lei, pouco se tem apresentado sobre as atribuições dos pedagogos nesses espaços hospitalares. Portanto, conclui-se que a relevância da pedagogia deve ser discutida com mais intensidade na formação inicial e se estender na formação continuada, pois alguns alunos podem passar por tratamentos hospitalares por um longo período, e não podem ser excluídos da educação básica.
Palavras-chave: Aluno-Paciente. Brinquedoteca. Formação Docente. Pedagogia Hospitalar.

Publicado
2021-10-19